Diagnóstico Errado na Vida de Cássia Kis

A atriz Cássia Kiss estava sofrendo transtornos psicológicos que, há oito anos, recebeu diagnóstico sobre seus problemas: bipolaridade.  Desde então, passou a consumir três tipos de remédios fortes: “Um que te nocauteia, te faz dormir 15 horas por dia; um que te levanta um pouquinho. E outro que te faz sorrir. Daí, lógico que eu melhorei. Você vira um pássaro, só falta voar”.

Contudo, o diagnóstico estava incorreto. A atriz define assim a situação: “Tive um diagnóstico errado, feio. Os médicos fazem uma cirurgia falando da ‘trepada’ que deram no dia anterior, que ‘comeram’ a enfermeira. Esquecem espuma, instrumento dentro de você, porque ficam voando. É muito grave eu sair de uma consulta com três receitas. Quem vai pagar o dano? São bulas enormes, dobradas em mil.”

Mesmo ciente do erro, departamentos da comunidade médica passaram a convidá-la para estrelar campanhas publicitárias. “Fui convidada por entidades de psiquiatria e fabricantes de remédios. Eu sacaneei. Pedi R$ 3 milhões. As farmácias são trilhardárias. Se eu for vender isso, vão ganhar R$ 200 milhões. Essa indústria é f.. O medicamento que eu tomo é caríssimo.” Além disso, Cássia passou a ser procurada por amigos e fãs com problemas de transtorno bipolar e se tornou uma espécie de confessora. “Eu via as pessoas que se aproximavam de mim e pensava: eu sou assim? Não, eu não sou!” Foi desta maneira que descobriu que não a doença. Alguns depois de convívio com o transtorno, fez paralelos entre o próprio comportamento e o de pessoas portadoras. Outro psiquiatra confirmou: Cássia não era bipolar e não precisava de remédios controlados.

A partir de então, entrou em outra luta, a para se livrar dos remédios. Ainda hoje está lutando. Adotou a meditação como um dos caminhos, sugestão do atual psiquiatra. “Sentando a bunda meia hora de manhã e à noite, tiro qualquer remédio barra pesada. Meditação cura tudo.”

0 2 5479 28 outubro, 2013 Cultura/Entretenimento, Diversos, Slide, Todo Bem-Estar outubro 28, 2013

Sobre o autor

Dr. Stélio Leal Pessanha é médico com formação em Neurologia e Neurocirurgia e atua em consultório desde que se formou. É chefe de neurologia e neurocirurgia das cidades de Caieiras e Francisco Morato, pós-graduado em Neurologia, eletroencefalografia, eletroneuromiografia, Oto–neurologia, potencial evocado auditivo, visual e somatosensitivo. Desenvolveu e desenvolve atividades em: - clínica médica: Saúde Pública, Administração Hospitalar, Patologia Clínica, Medicina do Trabalho, Medicina do Tráfego, Didática do Ensino Superior - em comunicação: USP (Português, Inglês), Uninove (Jornalismo-Publicidade). Roteirista de rádio, teatro e TV É escritor: - “O Mestre Aprendiz de Medicina”, livro já editado que mostra a trajetória de um médico no dia a dia com pacientes no consultório, prontos-socorros e centros cirúrgicos (acesse https://www.youtube.com/watch?v=Gc0F4Z6DtUs para mais informações) - “O destino Cuspiu para o Alto”, em fase de execução, livro a respeito de membros de algumas famílias que tinham tudo para dar certo, mas trilharam o caminho do mal. Como cidadão, a rebeldia de um então jovem médico recém-formado o levou a fundar um jornal (Gazeta Regional de Caieiras e região), uma rádio (Onda FM 87.5), webTV (TV Nova Onda e está a caminho de abrir sua TV retransmissora, todos sob a égide da Associação de Mídia Comunitária, a AMIC). Todas as mídias objetivam defesa da democracia, do meio ambiente e dos direitos do que mais precisam.

Ver todos os artigos de Stelio Leal Pessanha

2 comentário

  1. Ana

    Gostaria de saber qual o psiquiatra que confirmou o diagnostico errado. Sei que depois de alguns anos que se pode ter mais segurança para tirar a medicação sem que a pessoa corra riscos, mas acredito que deve haver muito engano com certeza. Tenho um familiar passando por essa grande dúvida, e agora está entrando em depressão, que acredito poder ser pelo medo, e pelo diaginostico de doente também. Não sei como um médico pode afirmar com tanta certeza se uma pessoa é bipolar ou se está num desequilíbrio temporário.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>