Humor a Toda Hora, a Todo Momento

Já foi dito que o brasileiro é alegre, divertido e bem-humorado. E que, se a vida, às vezes, parece complicada, por que então não parar um momento para aliviar as tensões com um pouco de humor? Pelo que parece, a ideia foi aceita por milhões de brasileiros.

O único meio para atingir tantas pessoas nos quatro cantos do país você já adivinhou. A internet. Usando computadores, tablets e os já conhecidos smartphones, os brasileiros assistem ao humor na forma de vídeo para aliviar seus problemas diários.

Como o Brasil está no centro das atenções, o YouTube, plataforma de vídeos do Google, abriu caminho para grupos mostrarem talento. O que os artistas brasileiros têm de sobra. Tanto é verdade que, em junho, a gigante da internet organizou a Semana da Comédia. A intenção era bombar a produção nacional do gênero. A razão para tal interesse concentra-se no resultado apresentado pela SocialBlade, empresa que mede audiências no site. Simplesmente sete dos dez canais com maior número de assinantes por estas bandas são destinados ao riso. O maior exemplo disso é o grupo Porta dos Fundos.

Porta dos Fundos

A internet apresenta-se como instrumento capaz de aglutinar todos os tipos de tribos, aqueles que não tinham condições das grandes mídias. Como também, os diferenciados, os que possuem conteúdo criativo, principalmente, no humor. Nesse tipo de seara, surge o grupo de humor Porta dos Fundos.

O grupo foi fundado por alguns humoristas, entre eles, Fábio Porchat. O cara está em todas as mídias, sejam elas, TV aberta, TV fechada e nas nossas pequenas telas onde é possível acessar a rede.

Fábio Porchat publica duas novas esquetes por semana. Quem já teve oportunidade de ver, foi infectado pelo vírus da risada. Quer repetir a toda hora do dia. Prova disso é que, após 150 vídeos publicados, o canal de humor já conta com a surpreendente cifra de 50 milhões de visualizações mensais.

Motivo do sucesso

Além da novidade e do talento de Porchat, o segredo é não fazer humor com prazo de validade. Tentam fazer graça com situações atemporais, segundo atesta um integrante do grupo, Gregório Duvivier. Os vídeos não perdem valor no tempo no espaço valioso do internauta. Aquela situação mostrada no vídeo é o que ocorre toda hora.

No Facebook, o grupo possui 2,3 milhões de fãs; no Twitter, não passa em branco. O grupo é seguido por 250 mil usuários. Motivos para isso ocorrer? A conclusão da disseminação surge na forma de viralização das esquetes. Sem falar que as situações descritas pelos humoristas passam a se tornar combustível de discussão em toda a rede.

Com a palavra, os entendidos

Tentar entender o sucesso estrondoso do Porta dos Fundos é tarefa para entendidos. Para os pobres mortais, mas antenados, é que a cada tempo aparece um fenômeno como o grupo. Óbvio demais, não acham?

Para o diretor geral do Google no Brasil, o sucesso do grupo Porta dos Fundos insere-se no restrito grupo de clássicos da TV brasileira do humor: TV Pirata e Família Trapo. Só para lembrar. No primeiro, lançou artistas com facetas humorísticas diferenciadas como Ney Latorraca e Cláudia Raia. O segundo tinha como carro chefe o humorista Golias, já falecido.

Sonho de tanta gente

Fora o fator diferencial dos grupos, vimos que existem outros tão interessantes sem ter o destaque merecido.  O sonho de muita gente concentra-se no fato de que vai mostrar o seu trabalho num ambiente aberto. E o ambiente do YouTube permite que se fale com muita gente e com qualidade com ressonância no gosto da maioria.

Os cursos de stand-up bombam nos grandes centros. Os que acham engraçados se candidatam para ter maiores condições de apresentar na rede seus trabalhos. Mas, o alvo é chegar à Vênus Platinada, a Globo. Todo esse pessoal vislumbra o exemplo de nomes como Galo Frito, Parafernalha, Felipe Neto e PC Siqueira.

Coisa de brasileiro

Assistimos a diversos sitecoms americanos. Na maioria das vezes, questionamos o que tem de agraçado naquilo tudo. Deve ser o jeito brasileiro de fazer piada até da morte.  Os brasileiros possuem o dom para o humor. Talvez porque somos o povo mais feliz do mundo. E claro isso foi transportado com maestria para a internet.

Se não conseguimos com as críticas e manifestações de rua, a rede aparece como alternativa. Só assim para entender o sucesso da paródia da presidente Dilma. Em vez de extravasamentos grosseiros, partimos para o engraçado.

“A Dilma Bolada” mostra uma versão pessoal de seu autor, Jeferson Monteiro. Na rede, os internautas conseguem ver uma Dilma vaidosa e extrovertida. Muitos sonham em vê-la nessa roupagem. Na verdade, por meio do humor do autor, o público consegue ver a si próprio no humor debochado.

Só uma coisa não é aceitável no estilo de provocar risos, o politicamente correto. Existe uma preocupação em não agredir as instituições e as minorias. Caso contrário, seria uma piada sem graça.

0 0 658 03 janeiro, 2014 Humor, Slide janeiro 3, 2014

Sobre o autor

Dr. Stélio Leal Pessanha é médico com formação em Neurologia e Neurocirurgia e atua em consultório desde que se formou. É chefe de neurologia e neurocirurgia das cidades de Caieiras e Francisco Morato, pós-graduado em Neurologia, eletroencefalografia, eletroneuromiografia, Oto–neurologia, potencial evocado auditivo, visual e somatosensitivo. Desenvolveu e desenvolve atividades em: - clínica médica: Saúde Pública, Administração Hospitalar, Patologia Clínica, Medicina do Trabalho, Medicina do Tráfego, Didática do Ensino Superior - em comunicação: USP (Português, Inglês), Uninove (Jornalismo-Publicidade). Roteirista de rádio, teatro e TV É escritor: - “O Mestre Aprendiz de Medicina”, livro já editado que mostra a trajetória de um médico no dia a dia com pacientes no consultório, prontos-socorros e centros cirúrgicos (acesse https://www.youtube.com/watch?v=Gc0F4Z6DtUs para mais informações) - “O destino Cuspiu para o Alto”, em fase de execução, livro a respeito de membros de algumas famílias que tinham tudo para dar certo, mas trilharam o caminho do mal. Como cidadão, a rebeldia de um então jovem médico recém-formado o levou a fundar um jornal (Gazeta Regional de Caieiras e região), uma rádio (Onda FM 87.5), webTV (TV Nova Onda e está a caminho de abrir sua TV retransmissora, todos sob a égide da Associação de Mídia Comunitária, a AMIC). Todas as mídias objetivam defesa da democracia, do meio ambiente e dos direitos do que mais precisam.

Ver todos os artigos de Stelio Leal Pessanha

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>