Automedicação

Arte: euarte.arteblog.com.br

Com o brasileiro, ninguém pode mesmo. Entende de football, de televisão, de política e até de Medicina. Mas a não ao ponto que chegamos em termos de automedicação. Pelo menos é a conclusão revelada por uma pesquisa inédita do instituto de pós-graduação para farmacêuticos, cuja sigla é ICTQ, realizada em doze capitais do País.

O estudo abrangeu 1.480 pessoas com 16 anos ou mais que consomem remédios. Os resultados mostram que 76,4% dos brasileiros praticam automedicação. E a maioria não tem a mínima compreensão dos riscos que estão correndo. O aumento na quantidade de medicamentos além da dose preconizada pelos médicos pode levar a diversos tipos de problemas, desde alergias e hemorragias até lesões graves no estômago e no fígado.

A população deve ficar atenta aos resultados desse trabalho. A verdade consiste no fato de que os medicamentos são os principais agentes causadores de intoxicação em nosso País, à frente até dos agrotóxicos. O abuso medicamentoso responde por quase 30% dos registros, segundo o Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas. Dados disponíveis, de 2011, dizem que as notificações somam 29.179 casos, sendo 44 mortes. O pior é que crianças com menos de cinco anos respondem por 35% dos casos.

O paradoxo dessa constatação, diz a pesquisa, é que 61,4% dos que se automedicam afirmam ter consciência dos riscos. Em contrapartida, afirmam estar conscientes de todos os riscos, mas relatam que isso não é suficiente para impedi-los. Por isso, o Conselho Paulista de Farmácia fará uma ação no Masp (avenida Paulista), no dia 05, para conscientizar as pessoas.

A luta dos órgãos competentes concentra-se em mudar um padrão cultural dos brasileiros. Não entendem a realidade a respeito do abuso de medicamentos. Além de intoxicar, podem mascarar sintomas.

Pior ainda, agravar doenças.

0 0 494 05 maio, 2014 Fique Por Dentro, Saúde, Slide maio 5, 2014

Sobre o autor

Dr. Stélio Leal Pessanha é médico com formação em Neurologia e Neurocirurgia e atua em consultório desde que se formou. É chefe de neurologia e neurocirurgia das cidades de Caieiras e Francisco Morato, pós-graduado em Neurologia, eletroencefalografia, eletroneuromiografia, Oto–neurologia, potencial evocado auditivo, visual e somatosensitivo. Desenvolveu e desenvolve atividades em: - clínica médica: Saúde Pública, Administração Hospitalar, Patologia Clínica, Medicina do Trabalho, Medicina do Tráfego, Didática do Ensino Superior - em comunicação: USP (Português, Inglês), Uninove (Jornalismo-Publicidade). Roteirista de rádio, teatro e TV É escritor: - “O Mestre Aprendiz de Medicina”, livro já editado que mostra a trajetória de um médico no dia a dia com pacientes no consultório, prontos-socorros e centros cirúrgicos (acesse https://www.youtube.com/watch?v=Gc0F4Z6DtUs para mais informações) - “O destino Cuspiu para o Alto”, em fase de execução, livro a respeito de membros de algumas famílias que tinham tudo para dar certo, mas trilharam o caminho do mal. Como cidadão, a rebeldia de um então jovem médico recém-formado o levou a fundar um jornal (Gazeta Regional de Caieiras e região), uma rádio (Onda FM 87.5), webTV (TV Nova Onda e está a caminho de abrir sua TV retransmissora, todos sob a égide da Associação de Mídia Comunitária, a AMIC). Todas as mídias objetivam defesa da democracia, do meio ambiente e dos direitos do que mais precisam.

Ver todos os artigos de Stelio Leal Pessanha

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>