Cochilos

jornalista Stélio L. Pessanha

jornalista Stélio L. Pessanha

Já foi dito várias vezes que dormir é fundamental para manter a saúde. As pessoas podem até conseguir ficar sem comer, mas não sem dormir. Elas simplesmente enlouquecem. O ato de dormir é bom, necessário e fundamental para a saúde.

Mas aquela cochiladinha em um período qualquer do dia pode ser de extrema utilidade para universitários, profissionais liberais, empresários e até pessoas comuns.  O sono após o almoço oferece alguns benefícios físicos, como aumento da disposição e diminuição do cansaço. Ele também é capaz de melhorar o desempenho cognitivo.

O objetivo desse cochilo consiste em liberar espaço para armazenar informações e priorizar absorção de novos conhecimentos. O que vai ao encontro de resultados de uma pesquisa desenvolvida pela Harvard Medical School. Quem dorme aproximadamente trinta minutos durante o dia, pelo menos três vezes por semana, reduz aproximadamente em 35% a chance de ter alguma doença cardiovascular.

Em países como Itália, Grécia e México, são comuns os cochilos. Na Espanha, por exemplo, a famosa sesta é uma instituição. Mas se formos ver os indicadores econômicos desses países, as informações não funcionam muito.

De qualquer forma, já foi visto cientificamente que os cochilos fazem bem para a saúde. Inclusive, no que tange ao melhor desempenho nas resoluções de tarefas. Em contrapartida, é bom alertar que passar do período de trinta a 45 minutos pode interferir no sono noturno.

Os cochilos também não devem ser praticados por pessoas que têm problemas de insônia. Só vai piorar o problema. Também devem ser alertadas as pessoas que apresentam cochilo involuntário, ataque de sono e sonolência diurna.  São manifestações bem conhecidas de distúrbios de sono, como narcolepsia, síndrome de apneia do sono e hipersônia idiopáticas e sintomáticas. Nesses casos, o melhor é procurar um neurologista.

0 0 555 30 dezembro, 2013 Deu Na Imprensa, Saúde, Slide dezembro 30, 2013

Sobre o autor

Dr. Stélio Leal Pessanha é médico com formação em Neurologia e Neurocirurgia e atua em consultório desde que se formou. É chefe de neurologia e neurocirurgia das cidades de Caieiras e Francisco Morato, pós-graduado em Neurologia, eletroencefalografia, eletroneuromiografia, Oto–neurologia, potencial evocado auditivo, visual e somatosensitivo. Desenvolveu e desenvolve atividades em: - clínica médica: Saúde Pública, Administração Hospitalar, Patologia Clínica, Medicina do Trabalho, Medicina do Tráfego, Didática do Ensino Superior - em comunicação: USP (Português, Inglês), Uninove (Jornalismo-Publicidade). Roteirista de rádio, teatro e TV É escritor: - “O Mestre Aprendiz de Medicina”, livro já editado que mostra a trajetória de um médico no dia a dia com pacientes no consultório, prontos-socorros e centros cirúrgicos (acesse https://www.youtube.com/watch?v=Gc0F4Z6DtUs para mais informações) - “O destino Cuspiu para o Alto”, em fase de execução, livro a respeito de membros de algumas famílias que tinham tudo para dar certo, mas trilharam o caminho do mal. Como cidadão, a rebeldia de um então jovem médico recém-formado o levou a fundar um jornal (Gazeta Regional de Caieiras e região), uma rádio (Onda FM 87.5), webTV (TV Nova Onda e está a caminho de abrir sua TV retransmissora, todos sob a égide da Associação de Mídia Comunitária, a AMIC). Todas as mídias objetivam defesa da democracia, do meio ambiente e dos direitos do que mais precisam.

Ver todos os artigos de Stelio Leal Pessanha

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>