Compostagem Doméstica Como Política Pública em São Paulo

Projeto-piloto da prefeitura de S. Paulo vai entregar 2 mil composteiras domésticas pela cidade – e pretende, com isso, coletar informações para elaborar um programa permanente para toda a população

(Fonte: revistagalileu.globo.com.br; texto: André Jorge de Oliveira)

 

2 mil composteiras pouparão 300 toneladas de resíduos nos aterros (Foto: André Jorge de Oliveira/Ed. Globo)

Duas mil composteiras pouparão 300 ton. de resíduos (Foto: André Jorge de Oliveira – Ed. Globo)

Três caixas de plástico com alguns furos, terra, minhocas e folhas secas: é tudo o que alguém precisa para reduzir pela metade sua produção de lixo. O sistema é chamado de composteira doméstica e permite que uma família transforme, na própria casa, seus resíduos orgânicos em adubo e fertilizante para as plantas. “É uma porta para entender como a sustentabilidade funciona na prática, o sistema reproduz o chão de uma floresta”, diz Antonio Storel, coordenador de programas de resíduos orgânicos da prefeitura de São Paulo.

O projeto Composta São Paulo foi pensado para ser um grande laboratório, um experimento que envolverá duas mil pessoas na cidade. Será avaliada, na prática, a viabilidade de uma expansão do programa a ponto de tornar a compostagem doméstica uma política pública. “Talvez lá para 2016 tenhamos condições de lançar um programa municipal permanente, que faça parte da política de resíduos sólidos”, aponta Storel.

A iniciativa foi inteiramente financiada pelas concessionárias de coleta de lixo Loga e Eco Urbis, que são obrigadas a destinar parte da verba de contrato com a prefeitura para ações que promovam  educação ambientar e pesquisa. A coleta de informações é o principal objetivo do programa, justamente para prover o poder público com o máximo possível de dados para elaboração de política mais abrangente sobre o tema.

Para garantir que a amostragem seja a mais diversa possível, a Morada da Floresta, ONG em prol da sustentabilidade responsável pelo projeto, vai escolher os voluntários através de duas frentes: tanto por meio de convites direcionados quanto por inscrições de interessados no site do Composta São Paulo. “A ideia é atingir diferentes localidades, perfis socioeconômicos, graus de escolaridade e profissões, além daqueles que já têm contato com o movimento socioambiental e também os que não têm”, explica Cláudio Spínola, idealizador da organização não-governamental.

0 1 685 08 julho, 2014 Meio Ambiente, Slide, Sustentabilidade julho 8, 2014

Sobre o autor

Dr. Stélio Leal Pessanha é médico com formação em Neurologia e Neurocirurgia e atua em consultório desde que se formou. É chefe de neurologia e neurocirurgia das cidades de Caieiras e Francisco Morato, pós-graduado em Neurologia, eletroencefalografia, eletroneuromiografia, Oto–neurologia, potencial evocado auditivo, visual e somatosensitivo. Desenvolveu e desenvolve atividades em: - clínica médica: Saúde Pública, Administração Hospitalar, Patologia Clínica, Medicina do Trabalho, Medicina do Tráfego, Didática do Ensino Superior - em comunicação: USP (Português, Inglês), Uninove (Jornalismo-Publicidade). Roteirista de rádio, teatro e TV É escritor: - “O Mestre Aprendiz de Medicina”, livro já editado que mostra a trajetória de um médico no dia a dia com pacientes no consultório, prontos-socorros e centros cirúrgicos (acesse https://www.youtube.com/watch?v=Gc0F4Z6DtUs para mais informações) - “O destino Cuspiu para o Alto”, em fase de execução, livro a respeito de membros de algumas famílias que tinham tudo para dar certo, mas trilharam o caminho do mal. Como cidadão, a rebeldia de um então jovem médico recém-formado o levou a fundar um jornal (Gazeta Regional de Caieiras e região), uma rádio (Onda FM 87.5), webTV (TV Nova Onda e está a caminho de abrir sua TV retransmissora, todos sob a égide da Associação de Mídia Comunitária, a AMIC). Todas as mídias objetivam defesa da democracia, do meio ambiente e dos direitos do que mais precisam.

Ver todos os artigos de Stelio Leal Pessanha

1 comentário

  1. Vanderlei

    PARABÉNS PELA INICIATIVA DE CRIAR CONSCIÊNCIA ECOLÓGICA NA POPULAÇÃO. Aproveitando, segue uma dica para quem tiver o interesse em fazer compostagem doméstica ou caseira ou vermicompostagem ou minhocultura. Você encontra a composteira ou minhocário pronto para uso (já com as minhocas californianas) ou somente as caixas plásticas no site CaixasPlasticasCuritiba. Tem diversos modelos e tamanhos. Tem também links para vídeos explicativos de como usar as composteiras. Espero ter ajudado.
    Ver link abaixo: http://www.caixasplasticascuritiba.com.br/categoria.php?cod_categoria=564269

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>