A Copa do Avião

- Moça, por favor, tem alguém para limpar a mesa onde eu possa comer?

- Não, infelizmente não. Sente-se em algum canto e coma.

Essa situação ocorreu no aeroporto de Viracopos em agosto de 2012 com o editor do GR. E, segundo funcionários da lanchonete, a tendência é piorar na Copa do Mundo. Antes de mais nada, é bom explicar que o país candidato a sediar uma Copa do Mundo recebe um manual de obrigações, no qual constam: necessidade de ter estádios adequados, instruções sobre condições de estradas e, sobretudo, meios de transportes. Leia-se: condições adequadas de locomoção de seleções e torcedores.

Para ficar na principal cidade do país, São Paulo, esta sofre profundas dificuldades no quesito meios de transporte. Estradas adequadas até os estádios são outros problemas a serem abordados. O Itaquerão, estádio do Corinthias e local de abertura da Copa do Mundo, é um exemplo. Em dias normais, a via de acesso – rodovia Airton Senna -, para a qualquer acidente e sempre está cheia.

Mas nada se compara aos chamados aeroportos. O mundo sabe do tamanho colossal do Brasil, um país continental de contrastes e culturas diferentes; como também do clima em cada canto. Tanto que a Fifa, um dia depois do sorteio dos grupos, informou que sete jogos mudaram de horário por causa do calor.

Só não podem mudar a escolha dos estados sedes, onde as seleções vão se defrontar, sendo a final no Maracanã, no Rio de Janeiro. As seleções viajarão até 5,5 mil km por todo o país. Para as seleções do mundo, não vão ocorrer problemas. A Fifa fretou vários voos para os deslocamentos das seleções. Afinal de contas, repetimos, as seleções viajarão até 5,5 km por todo o país. Em termos de quilometragem de deslocamento, o Uruguai, bicampeão mundial, vai ter de ficar mais de sete horas no ar em voos entre Fortaleza, São Paulo e Natal. Já a tricampeã, Alemanha, gastará duas horas e meia dentro do avião para jogar em Salvador, Fortaleza e Recife.

A Hora da Verdade com Passageiros

Os brasileiros já sabem que, para participar de todos os jogos do Brasil, vão ter de viajar para outros estados. Desde já, se deparam com um probleminha simples: preços das passagens. Subiram mais do que a inflação – um Deus-nos-acuda em termos de conseguir viabilizar qualquer viagem, o que fez a agência reguladora, Anac, a entrar em capo e normatizar os valores das passagens.

Há uma pergunta no ar cuja resposta ninguém consegue garantir nada. “Vai haver voos para todos os torcedores nacionais e estrangeiros em território nacional?” Em entrevista à rádio Bandeirantes, um diretor da TAM garantiu que sim. Lembrou que a Copa do Mundo em 2014 no Brasil é a copa da TV. E também deixou no ar uma pergunta para sustentar seu argumento: “Quem no Brasil vai ter dinheiro para gastar com despesas de hotéis e viagens de avião?”. No fim, garante: “As companhias aéreas estão preparadas para dar o melhor para os passageiros”.

A copa do Mundo de 2014 no Brasil vai ocorrer no período das férias. Muita gente vai querer viajar para descansar. Se possível, também se divertir com os jogos da seleção brasileira. Como brasileiro, vale a pena pensar que “Deus nasceu aqui”.

E com essa ilusão, juntar-se às autoridades no mesmo otimismo de que tudo vai dar certo.

0 0 510 09 dezembro, 2013 Economia, Mercados, Slide dezembro 9, 2013

Sobre o autor

Dr. Stélio Leal Pessanha é médico com formação em Neurologia e Neurocirurgia e atua em consultório desde que se formou. É chefe de neurologia e neurocirurgia das cidades de Caieiras e Francisco Morato, pós-graduado em Neurologia, eletroencefalografia, eletroneuromiografia, Oto–neurologia, potencial evocado auditivo, visual e somatosensitivo. Desenvolveu e desenvolve atividades em: - clínica médica: Saúde Pública, Administração Hospitalar, Patologia Clínica, Medicina do Trabalho, Medicina do Tráfego, Didática do Ensino Superior - em comunicação: USP (Português, Inglês), Uninove (Jornalismo-Publicidade). Roteirista de rádio, teatro e TV É escritor: - “O Mestre Aprendiz de Medicina”, livro já editado que mostra a trajetória de um médico no dia a dia com pacientes no consultório, prontos-socorros e centros cirúrgicos (acesse https://www.youtube.com/watch?v=Gc0F4Z6DtUs para mais informações) - “O destino Cuspiu para o Alto”, em fase de execução, livro a respeito de membros de algumas famílias que tinham tudo para dar certo, mas trilharam o caminho do mal. Como cidadão, a rebeldia de um então jovem médico recém-formado o levou a fundar um jornal (Gazeta Regional de Caieiras e região), uma rádio (Onda FM 87.5), webTV (TV Nova Onda e está a caminho de abrir sua TV retransmissora, todos sob a égide da Associação de Mídia Comunitária, a AMIC). Todas as mídias objetivam defesa da democracia, do meio ambiente e dos direitos do que mais precisam.

Ver todos os artigos de Stelio Leal Pessanha

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>