Religiosidade – Círio de Nazaré

O ponto alto da fé

GENTENACORDAUma das maiores demonstrações de fé ocorre numa das cidades mais importantes do norte do País. Falamos do Círio de Nazaré em Belém do Pará. O repórter do GR on line esteve duas vezes na cidade de Belém e conferiu de perto esse evento de proporções inimagináveis. O relato a seguir é de perder o fôlego.

“A festa chega à 221ª. edição. A cidade ferve em todos os dias do mês de outubro. O ponto principal ocorreu neste domingo, 13. Chega a reunir cerca de mais de 2 milhões de pessoas entre nativos e gente de todos os lugares do Brasil e do exterior. O número surpreende, pois é superior ao da população de Belém.

Mesmo sendo turista, não há como deixar de vivenciar o clima das várias das romarias. E olha que no total são onze, contabilizando 130 quilômetros de Belém até Ananindeua. Ocorre uma verdadeira muvuca: carros, bicicletas e caminhões se misturam entre cantorias e fogos de artifícios. Tudo para acompanhar a Santa Peregrina. Na verdade, uma substituta, porque a imagem original permanece na basílica com seu nome.

Uma das procissões que o visitante deve seguir é a da via fluvial pela bacia do Guajará. Dá para contar as mais de seiscentas  embarcações com milhares de romeiros e turistas curiosos. Lembra muito uma avenida congestionada nas águas. Mas nada chama mais a atenção do que a procissão do Círio. Uma experiência transcendental. Para quem tem coração forte. Ou melhor, para quem tem . Só de olhar já assusta pelo esforço a ser dispendido na empreitada.

Uma multidão se agarra à famosa “corda” presa à santa. Em alguns momentos, as pessoas penduradas param por completo. De repente, voltam a andar com uma velocidade maior, balançando para todos os lados. Ninguém tem controle de nada. Fazem isso apenas por fé ou para pagar promessas. Reafirmar as crenças religiosas. Ou apenas se entregar ao divino e a Nossa Senhora de Nazaré.

Para quem ainda quer participar da festa, só dá tempo de pegar um avião. O encerramento é em 27/10 às 21h00 na Casa Plácido.”

Por dentro da História

Louvação – A história do auto da fé no Pará tem mais de duzentos anos

Origens - Em 1700, Plácido de Souza achou uma pequena imagem de Nossa Senhora de Nazaré perto de um riacho e levou-a para casa, mas ela sempre desaparecia e voltava às águas. Foi, então, erguida uma capela no local, que deu origem à basílica e ao Círio, iniciado em 1793.

A Corda – falam que em 1855 a berlinda que levava a santa atolou. A partir daí, passou a carregar sempre uma corda. Atualmente, ela mede cerca de quatrocentos metros e é um dos principais símbolos da procissão, em que os devotos se agarram para demonstrar sua fé.

Miriti – Durante a festa, as ruas de Belém são tomadas por brinquedos feitos por caule da palmeira do miriti. São miniaturas de bichos, barcos e plantas amazônicas, confeccionadas em especial por artesãos de Abaetetuba.

0 4 40074 14 outubro, 2013 Cultura/Entretenimento, Slide outubro 14, 2013

Sobre o autor

Dr. Stélio Leal Pessanha é médico com formação em Neurologia e Neurocirurgia e atua em consultório desde que se formou. É chefe de neurologia e neurocirurgia das cidades de Caieiras e Francisco Morato, pós-graduado em Neurologia, eletroencefalografia, eletroneuromiografia, Oto–neurologia, potencial evocado auditivo, visual e somatosensitivo. Desenvolveu e desenvolve atividades em: - clínica médica: Saúde Pública, Administração Hospitalar, Patologia Clínica, Medicina do Trabalho, Medicina do Tráfego, Didática do Ensino Superior - em comunicação: USP (Português, Inglês), Uninove (Jornalismo-Publicidade). Roteirista de rádio, teatro e TV É escritor: - “O Mestre Aprendiz de Medicina”, livro já editado que mostra a trajetória de um médico no dia a dia com pacientes no consultório, prontos-socorros e centros cirúrgicos (acesse https://www.youtube.com/watch?v=Gc0F4Z6DtUs para mais informações) - “O destino Cuspiu para o Alto”, em fase de execução, livro a respeito de membros de algumas famílias que tinham tudo para dar certo, mas trilharam o caminho do mal. Como cidadão, a rebeldia de um então jovem médico recém-formado o levou a fundar um jornal (Gazeta Regional de Caieiras e região), uma rádio (Onda FM 87.5), webTV (TV Nova Onda e está a caminho de abrir sua TV retransmissora, todos sob a égide da Associação de Mídia Comunitária, a AMIC). Todas as mídias objetivam defesa da democracia, do meio ambiente e dos direitos do que mais precisam.

Ver todos os artigos de Stelio Leal Pessanha

4 comentário

  1. Luis Carlos

    Que estupidez! Infelizmente não tomam tento sobre a estupidez que é! Vejo pessoas caindo aos montes por passarem mal e as pessoas agradecem.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>